12.11.2016

À Procura de Audrey (Sophie Kinsella)

História
Audrey é uma adolescente comum, igualzinha a tantas. Com 14 anos, estuda, se apaixona, entra em conflito com os pais, sonha, confia nas amigas. Até que começa a ser vítima de bullying. No início, parecia apenas uma pequena implicância, mas a provocação vai aumentando. Logo, a menina não consegue mais frequentar o colégio, nem ao menos sair de casa. O diagnóstico? Transtorno de ansiedade social, transtorno de ansiedade generalizada e episódios depressivos. 
Com a ajuda da Dra. Sarah, Audrey começa um lento, mas decisivo, caminho rumo à recuperação. E quando conhece Linus, parceiro de games do irmão, ela sente uma ligação. Seu sorriso de gominho de laranja é encorajador, e eles podem conversar sobre tudo: ansiedades, sonhos, medos. Ainda que de forma não muito convencional no início. Mesmo com as ressalvas da médica, a amizade se aprofunda — em meio a visitas ao Starbucks e pequenos desafios. Em pouco tempo, evolui para um romance que vai afetar toda a família. Por fim a normalidade parece apenas a um passo de distância. À procura de Audrey é um romance inspirador sobre família, primeiro amor e depressão.

Capa
Bom, eu achei a capa bem criativa, esse verde água é bem bonito, e os auto-relevos são lindos. Sendo honesta, eu prefiro a contra capa, onde vemos dois copos da Starbucks, um do Linus e outro da Audrey. Tudo bem fofo. 

É fiel sobre o que propõe? 
O livro se propõe a tratar de uma história de depressão de uma garota de 14 anos, e faz isso muito bem. É um livro longo, o que é bom, porque vemos todos os estágios que Audrey passa, sempre no tempo dela. Então, sim, sinopse e livro estão de acordo. :) 

Pontos Positivos
Bom, praticamente tudo? Todos os personagens são bem desenvolvidos, e isso inclui o irmão de 4 anos da Audrey, Felix. A história é sim centrada na Audrey, porém a autora da espaço para todos os personagens secundários, e os desenvolve, sempre com muita naturalidade. A escrita de Sophie Kinsella é descontraída, fácil e prazerosa. É um livro onde você pode encontrar personagens que são simplesmente idênticos aos da vida real, e isso faz com que você crie um tipo de ligação com eles. 

Pontos Negativos
Poxa, acho que simplesmente não há nenhum. Talvez o fato de ser um livro único, sem continuação seja o maior problema, porque sim, eu adoraria acompanhar Audrey por mais algumas aventuras cotidianas. E ver como ela lida com a depressão por mais um tempo, já que foi por esse motivo (depressão) que comprei o livro.  

Vale a pena? 
Claro! É um livro tão fácil e simples de ler, que mesmo as mentes mais estressadas conseguiriam divagar por horas afinco na leitura do mesmo. Esse foi o primeiro livro que li da Sophie Kinsella, apesar de sempre ter ouvido falar dela, e ser apaixonada pelo filme "Os Delírios de Consumo de Becky Bloom", adaptação cinematografia de um de seus livros. E agora parece que perdi muito tempo sem incluir essa autora na minha lista de "Autoras Mais Maravilhosas de Todos os Tempos". É, claro, não estou dizendo que "À Procura de Audrey" é o melhor livro do mundo, mas definitivamente está entre os meus preferidos. 

Vejo vocês em breve :)

Postar um comentário

Latest Instagrams

© Não Seja Julieta. Design by FCD.