8.31.2016

30 Day Photography Challenge

Ultimamente (de uma semana pra cá) eu tenho achado minhas fotos bem qualquer coisa. Para vocês terem uma ideia não estou conseguindo fotografar nada direito, nem mesmo coisas fáceis, como posts de livros. Então eu estava pensando em participar de algum projeto fotográfico para ver se 'quebrava o gelo'. É claro que eu não preciso dizer que não me dou bem com esse tipo de projeto, e que a maioria das vezes acabo parando na metade. Mas como eu realmente estou me sentindo bem depressiva a respeito da minha fotografia, então, talvez, um projeto fotográfico seja exatamente o que eu preciso para voltar a ativa e ficar mais inspirada. 

Além do mais estou gostando muito de acompanhar o BEDA (Blog Every Day August) que várias blogueiras estão fazendo nesse mês de agosto. Principalmente o da Andrea do Toffle Drops, essa fotografa maravilhosa de Brasilia. Então juntando tudo isso eu decidi fazer o 30 Day Photography Challenge.

Se você procurar na internet vai encontrar inúmeras variações desse desafio fotográfico, então como eu não sei qual é a "oficial", decidi pegar o que mais me agradou e fazer algumas modificações. Ficou assim ó:
Primeira montagem no Photoshop, ignorem qualquer atrocidade
Como eu tenho problemas em compartilhar as fotos que eu tiro na minha câmera no Instagram, decidi participar desse desafio postando as fotografias aqui no blog, ou seja, no mês de Setembro todo dia vai ter post novo porque estarei fazendo o 30 Day Photography Challenge! É quase um BEDA, porém em outro mês e apenas com fotos ^^ (ah e os posts normais como 6 on 6, Around ou coisas que venham a minha mente seguirão normais) Será que estou a altura do desafio? Veremos!

See you :)

8.28.2016

Rainy Morning

Venho tentando criar o habito de levar minha câmera sempre que sair de casa. Mesmo que esteja com apenas 1% de inspiração e totalmente desanimada. A parte boa disso é que mesmo sem perspectiva nenhuma, acabei tirando fotografias boas, que não teria conseguido se não tivesse teimado em carregar minha queridinha por ai (câmera). E foi em uma dessas situações que acabei conseguindo fotografar uma manhã de chuva enquanto comprava algumas coisas no centro da cidade. Combinação perfeita: chuva, sábado, friozinho e fotos <3

As fotos ficaram com esse 'manto' cinza justamente por causa da chuva, que estava bem fraquinha (por isso que não tem nenhuma foto mostrando a chuva literalmente), mas constante. Mais alguém fica sonhando acordada quando o tempo está assim?

Vejo vocês em breve :)

8.27.2016

Pink Scarf

Dai que na ultima madrugada de sábado enquanto tentava tirar as fotos para o post da "A Rebelde do Deserto" eu acabei tirando umas fotos bemmmmm aleatórias minhas com um lenço rosa. Bom, a narrativa é simples assim. Madrugada de sábado, Lady Gaga estourando nos fones de ouvido, luz da softbox e minha câmera. Ah e é claro, um quantidade bem grande de paciência. Resultado? 

Eu não sei exatamente porque mas eu simplesmente AMEI o resultado dessas fotos. Tudo ficou muito bom. Seja a luz, o foque ou mesmo o desfoque, as cores, e a ideia no geral. Isso só prova o porque as madrugadas de sábado são minhas horas favoritas da semana. É calmo, sozinho e sereno e sempre me deixa muito inspirada. E vocês, também tem uma hora da semana onde se sentem completamente a vontade? Comenta ai ^^

Vejo vocês em breve :)

8.26.2016

O dia que exclui meu Flickr e 500px

Durante muito tempo tive perfis em sites fotográficos para expor minhas fotos, conhecer trabalhos de outros fotógrafos, e consequentemente ganhar mais visibilidade. O Flickr sempre "me ajudou" muito nisso, já que é um espaço grátis* na internet onde você está conectado com o mundo todo. Teoricamente, parece perfeito, você exibe suas fotos, o mundo inteiro pode vê-las e o feed back é maravilhoso, né? Bom, não. Não é assim que acontece. Mas vou explicar isso partes:

Adeus, Flickr
- Você exibe suas fotos gratuitamente
Bom sim, até um certo ponto você exibe suas fotografias gratuitamente, mas tem um limite. Creio que seja até 200 fotos e você pode participar de alguns grupos fotográficos. Não estou dizendo que o site não deveria cobrar seus usuários  pelo serviço e espaço, estou dizendo que o serviço e espaço não funcionam. Pelo menos não se você tem poucos seguidores. 

- Você conhece o trabalho de outros fotógrafos 
Talvez eu esteja falando alguma besteira muito grande, mas eu realmente acredito que fotografia não é um dom que todo mundo tenha. Sim, qualquer um pode fotografar, quem sou eu para definir isso, mas existem certas coisas que fazem algumas fotografias serem melhores do que outras. Não é só apertar um botão, pelo menos para mim, envolve tudo que eu sou e como eu enxergo o mundo. No Flickr todo mundo pode exibir suas fotos (o que é uma coisa boa) mas não significa que sejam as melhores fotos do mundo, aliás pode ser dito que tem muita foto ruim por lá. Ou seja, uma rede onde deveria apenas haver fotógrafos, acaba sendo um rede social onde se vê de tudo, menos trabalhos de outros fotógrafos.

- Você ganha mais visibilidade
Hmmm, não. Eu nunca tive mais visibilidade por exibir minhas fotos no Flickr, aliás, creio que sempre foi um tanto quanto invisível. Eu não sei como funciona os algoritmos de buscas por lá, mas sei que eu posso tirar um foto ótima, escrever as hashtags certas e postar em algum horário de 'pico', e simplesmente nada vai acontecer. Talvez, talvez eu ganhe umas 50 visualizações na foto, e uma ou duas pessoas favoritem, mas ganhar seguidor? Nem pensar. E olha que isso é a possibilidade "boa". Minhas fotos por lá geralmente tinham 20 visualizações e nenhum favorito. E olha que eu tinha uns 70 seguidores, o que prova que seguidores significam apenas, bem, seguidores.

Ah, mas o 500px é melhor, né?
Bom, sim, é bem melhor que o Flickr. A interface do 500px é bem mais bonita e é um site muito mais fácil de mexer. Na verdade, esse negocio de exibição, conhecer novos fotógrafos e ganhar mais visibilidade realmente funciona por lá, mas ainda é um rede pouco conhecida. Além do mais eu decidi tirar minhas fotos desses sites pelo (também) grande motivo de: 

- Menos é mais
Vamos pensar um pouco, eu tinha/tenho Tumblr, Instagram, Flickr, 500px, o blog, Facebook, Twitter e em todos, eu exibia as mesmas fotos. E em todos, o feed back não era tão bom. E eu sei que minhas fotos são boas, apenas estava administrando tudo erroneamente. Então ao invés de criar 30 redes sociais para exibir as mesmas fotos, decidi excluir várias redes socais e separar a função de cada uma, então ficou mais ou menos assim: 

Facebook - divulgação 
Twitter - divulgação 
Instagram - fotos e divulgação
Blog Não Seja Julieta - meu portfólio e registros 

Estou fazendo isso há mais ou menos uma semana e os resultados parecem bem melhores. Assim eu continuo postando por aqui, que já tenho mais de 20 mil visitas e foco as outras redes em apenas um lugar só, ou seja, no meu blog. Um espaço que eu pago anualmente e que tem muito mais a minha cara. :D E vocês? Já tiveram essa impressão com certas redes sociais? De que elas não funcionam como deveriam? Comenta ai :)

 Vejo vocês em breve :)

8.25.2016

Tag: Meu blog e Eu

É impressionante que mesmo com muita vontade de postar por aqui, esteja me faltando assunto e ideias. Eu queria ter atualizado o blog nesse final de semana que passou, mas não consegui escrever uma misera palavra sobre qualquer coisa e nem fotografar. Então digitei no google "tags legais blog" e encontrei a tag "Meu blog e Eu" que são essas 9 perguntinhas bem especificas sobre meu blog. Ah e quem quiser fazer essa tag também, sinta-se tagiado :D

1 - Por que você criou o blog?
Porque queria compartilhar minhas fotos e minhas ideias em algum lugar que não fosse sites fotográficos, como Flickr ou 500px. Também queria um espaço para poder fazer fotos mais 'temáticas". 

2 - Como escolheu o nome do blog?
A história por traz dos nomes do blog é bem longa, então vou tentar resumir. Depois de muito tempo pensando em ter um blog decidi criar um, e naquela época estava meio triste por gostar de alguém que não gostava de mim, então intitulei o blog de "Eu nunca me apaixonei". Alguns meses depois decidi mudar o nome do blog porque o achava bem depressivo. Depois de semanas listando nomes eu encontrei o "Não Seja Julieta", que para mim significa algo como 'não passe sua vida dependendo apenas do amor para ser feliz.' Super oposto, né?

3 - Quando seu blog foi criado?
O Não Seja Julieta foi criado em Junho de 2014.

4 - Qual o primeiro assunto que seu blog abordou?
Ironicamente amor, livros e canecas.

5 - Quem fez seu layout?
Várias designers já passaram por aqui, mas o atual foi comprado e não é exclusivo. Criação da Eve do Fearne Creative Design

6 - Fale um pouco do layout, o que ele representa?
Já tive layouts que representavam muitas coisas, mas o atual representa simplicidade, funcionalidade e destaque para minhas fotos. 

7 - Pensa em fazer do blog um trabalho?
Talvez, mas acho bem difícil. Como já falei antes, isso exige muita dedicação, infelizmente não tenho tempo ou dinheiro pra isso. 

8 - O que você diria para blogueiras que estão começando agora?
Eu diria que ter um blog é muito legal, e que a única regra a se seguir é permanecer fiel a você mesmo e se divertir.

9 - Quais suas blogueiras favoritas?
Bom, tem várias, e tem hora que sigo mais uma do que outra, mas vou listar algumas que gosto, mesmo não visitando todo santo dia: Garotas Rosa Choque, Depois dos Quinze, Just Lia, Melina Souza, Paris in Four Months, BleuBird, Toffle Drops e mais algumas que provavelmente estou esquecendo hehe. Eu procuro seguir blogueiras que também são fotografas, para me manter sempre inspirada :) 

Gostaram? Vejo vocês em breve :)
Facebook | Twitter | Instagram | Pinterest 

8.21.2016

A Rebelde do Deserto (Alwyn Hamilton)

História
O deserto de Miraji é governado por mortais, mas criaturas míticas rondam as áreas mais selvagens e remotas, e há boatos de que, em algum lugar, os djinnis ainda praticam magia. De toda maneira, para os humanos o deserto é um lugar impiedoso, principalmente se você é pobre, órfão ou mulher.
Amani Al’Hiza é as três coisas. Apesar de ser uma atiradora talentosa, dona de uma mira perfeita, ela não consegue escapar da Vila da Poeira, uma cidadezinha isolada que lhe oferece como futuro um casamento forçado e a vida submissa que virá depois dele.
Para Amani, ir embora dali é mais do que um desejo — é uma necessidade. Mas ela nunca imaginou que fugiria galopando num cavalo mágico com o exército do sultão na sua cola, nem que um forasteiro misterioso seria responsável por revelar a ela o deserto que ela achava que conhecia e uma força que ela nem imaginava possuir.
Capa: 10
Que capa linha, sério. Os últimos 3 livros que comprei provavelmente possuem as capas mais bonitas de toda minha estante. E "A Rebelde do Deserto" é uma delas. O dourado com o azul combinou perfeitamente, e as bordas do livro imitando dunas de areia criam um efeito bem bonito. Realmente, não tem do que reclamar.

É fiel sobre o que propõe?
Sim, completamente fiel. A sinopse e a capa falam sobre uma garota fugindo de um lugar ruim, e que encontra algo que nunca imaginaria. A autora conduz a história com muita maestria e precisão. Algo admirável por ser seu primeiro livro. 

Pontos Positivos
Bom, eu poderia dizer tudo, mas não é bem assim. O livro é bem construído e os personagens são incríveis. A química do casal principal é explosiva (isso num sentido bom), e você realmente torce por Amani, e fica impressionado com sua esperteza. As paisagens - deserto - são bem descritos, mesmo que desertos possam parecer os mesmos. O leitor não é poupado de violência, mas (graças a Deus) não há nenhuma cena descrevendo estrupo ou algo do tipo. Isso é um ponto positivo para a escritora. Porque autores podem escrever sobre violência sem jogar personagens mulheres em situações depravantes, já que é sempre bom evitar a naturalização de abusos.  

Pontos Negativos
Assim que você termina a leitura, você fica com a sensação de que é um livro ótimo, mas que o final de algum forma desapontou. É obvio que terá uma continuação, mas eu acho que foi um tiro no escuro tentar alongar essa história, porque faltou conexões, faltou motivos mais plausíveis. Eu teria ficado muito mais contente se ele fosse um livro mais longo e único, então seria épico. 

Vale a pena? 
Muito! Fazia taanto tempo que não ficava tão empolgada assim com um livro, acho que o ultimo que eu li que me deixou assim foi "As Crônicas do Matador do Rei". Então sim, apesar das prováveis continuações desnecessárias, leia "A Rebelde do Deserto", uma história rica, com uma protagonista feminina super inspiradora! #teambandidadosolhosazuis

See you :)

8.09.2016

Around #1

Red Velvet
Sábado de manhã
Coisas de costura
Parede do meu quarto

Pink lovely flowers
Algumas fotos aleatórias. Quando estou inspirada, eu acabo fazendo fotos que são bem distintas e ocasionais, então acaba não sendo possível usa-las em nenhum post. Como a pilha desses tipos de fotos vem acumulando, decidi publica-las no blog. Vai me ajudar a atualizar o blog com mais frequência :) O que acham? 

See you :)

8.08.2016

Anna Vestida de Sangue (Kendare Blake)


História
Cas Lowood herdou uma vocação incomum: ele caça e mata os mortos. Seu pai fazia o mesmo antes dele, até ser barbaramente assassinado por um dos fantasmas que perseguia. Agora, armado com o misterioso punhal de seu pai, Cas viaja pelo país com sua mãe bruxa e seu gato farejador de espíritos. Juntos eles vão atrás de lendas e folclores locais, tentando rastrear os sanguinários fantasmas — e afastar distrações, como amigos e o futuro.Quando eles chegam a uma nova cidade em busca do fantasma que os habitantes locais chamam de Anna Vestida de Sangue, Cas espera o de sempre: perseguir, caçar, matar. Mas o que ele encontra é uma garota envolta em maldições e fúria, um espírito fascinante, como ele nunca viu. Ela ainda usa o vestido com que estava no dia em que foi brutalmente assassinada, em 1958: branco, manchado de vermelho e pingando sangue. Desde então, Anna matou todas as pessoas que ousaram entrar na casa vitoriana que ela habita. Mas, por alguma razão, ela poupou a vida de Cas. 
Agora ele precisa desvendar diversos mistérios, entre eles: Por que Anna é tão diferente de todos os outros fantasmas que Cas já perseguiu? E o que o faz arriscar a própria vida para tentar falar com ela novamente?


Capa: 7
Bom, se você comprar esse livro pela internet, a capa vai chamar bastante sua atenção, como chamou a minha. Porém quando recebi o livro, não parecia tão bonita. As partes vermelha sangue na verdade são bordo, e ficam meio que apagadas no preto e branco do livro. Mas fiquei feliz da capa retratar a Anna e sua casa.

É fiel sobre o que propõe? 
Bem, sim. A sinopse e capa propõem uma história de fantasma, e isso definitivamente é verdade. Aliás, nesse livro, vemos 4 ou 5 fantasmas além da Anna. O que eu acho que deixou um pouco a desejar foi esse "romance" fantasma-caçador que ficou bem água com açúcar, mas vou explicar mais abaixo. 

Pontos Positivos
Os personagens secundários, a história da Anna e o 'vilão'. Bom, os personagens secundários são praticamente todas as pessoas que aparecem na história que não sejam o Cas. Isso inclui até Anna, ela é definitivamente a melhor parte do livro, sua história é bem emocionante. Pena que não teve muito destaque. Fora ela, aparecem amigos do Cas, que são bem inteligentes e divertidos (diferentes dele). E o vilão que aparece umas 20 páginas do final e praticamente salva o livro, vilão esse bem macabro e creepy. (também merecia mais destaque)

Pontos Negativos
O personagem principal, Cas. É o pior personagem literário que eu já conheci em toda minha vida. Sério. Juro que não estou exagerando. Eu geralmente tenho um crush por personagens masculinos e coisa e tal, mas esse Cas eu odiei, do fundo do meu coração. Ele é chato, metido, superficial, fraco.  E ele estraga o livro, porque ele faz do livro a história dele, sinceramente, quem liga para mais um cara chato que manja de tudo? Eca. O maior erro que a autora cometeu foi fazer essa história em primeira pessoa, teria ficado muito melhor com uma narração onipresente. O livro poderia ter sido um clássico, mas é só mais um livro para adolescentes. Soa como oportunidade perdida.  

Vale a pena? 
Bom, o livro deveria ser sobre a Anna, mas não é, deveria te dar um pouco de medo também, mas não dá, tenha consciência disso. Se você é mais de ~boas~ que eu e atura personagem chato, então você deveria ler "Anna Vestida de Sangue". Mas se eu soubesse dos pontos negativos, teria pulado esse livro.

É isso, espero que tenham gostado 
See you :)

Facebook | Twitter | Instagram | Flickr | Pinterest | 500px 

8.07.2016

Coming back

Bom, como podem perceber eu parei com as resenhas literárias aqui do blog. Além de estar desmotivada para leitura, a obrigação de ler e resenhar o livro estava me frustando bastante. Acho que quando se tem um blog, você tem aquilo como hobby, e se algo se torna obrigação para de ser divertido. Para melhorar tudo, não estava gostando das minhas próprias resenhas, achava que estavam ficando muito longas e muitas vezes sem nexo. Então resolvi parar, descansar a mente um pouco e me afastar da leitura cotidiana por um tempo.

Sabe o que me ajudou? 

- Comprei o Kindle Paperwhite.
Eu tenho muita dor no pulso e nas mãos, acho que o fato de trabalhar o dia todo na frente de um computador não ajuda muito. Então muitas vezes era difícil achar uma posição confortável enquanto lia um livro de papel. Foi então que decidi comprar o Kindle, um e-reader super leve e muito maleável. E a como se fosse um passe de mágica eu consegui ler toda a saga da Mediadora em menos de um mês (são 6 livros). Ou seja o Kindle me ajudou a encontrar minha paixão por leitura novamente.

- Comprei livros que eu realmente queria comprar.
Esse aqui é tipo um puxão de orelha para mim mesma. Alguns livros são caros, e outros são baratos, mas eu teimava sempre em nunca comprar livros por mais de R$25,00 - R$30,00. E eu perdi tantas oportunidades de conhecer histórias incríveis, só por ser meio mão de vaca. E as vezes aqueles livros 'baratos' que eu comprava nem me interessam tanto, e acabavam ganhando uma pilha de poeira na minha estante. Ou seja, comprar livros que realmente queria comprar foi tipo uma libertação.

- Decidi que não faria mais resenhas. 
Apesar desse post parecer uma preparação para dizer "Hey vou voltar a resenhar livros", não é. O que eu quero fazer é bolar alguma maneira de trazer para o blog livros que realmente me encantaram e dar a oportunidade aos leitores de conhece-los, sem deixar as coisas técnicas demais. Algo mais simples e que eu consiga expressar o que realmente penso do que acabei de ler, sem ficar com medo de soar boba ou feminista demais. Ou seja, não fazer mais resenhas vai aumentar os posts com dicas de livros aqui no blog, parece um paradoxo, né?

As vezes uma forma de buscar inspiração é se afastar por um tempo daquilo que gosta, respirar por um tempo e deixar sua mente livre para voltar onde seu coração pertence. 

See you :)

8.06.2016

6 on 6 - August

Eis que eu estava escrevendo um outro post para o blog, super animada e quase finalizando tudo, quando me lembrei que tinha que postar o 6 on 6 hoje. Lembrei disso as 22:45 de um sábado a noite, dá pra acreditar? E nem me venha com 'Driele não tem vida social', tenho sim, e sai pra jantar hoje, a diferença é que não fiquei até 3 da manhã fora de casa. Tudo bem que com essas atitude eu não pareço uma garota de 24 anos, mas quem realmente se importa? Eu não :)

Mas voltando para o 6 on 6 desse mês, podemos dizer que ele ficou quase temático, faltou uma foto, e por mais que eu tenha tentado, não consegui encontrar uma outra pra encaixar no post :( mas mesmo assim ficou legal ó:

1 - Fazia um tempão que eu queria ir a um parque de diversões para fotografar, e apesar das fotos acima não serem de um parque de diversões propriamente dito, ainda lembra um pouco, né? Tentei pegar a estrela com bichinhos e falhei.
2 - A parte de cima da caixa onde tinha pelúcias para serem agarradas, como chama essa maquina? Não tenho nem ideia, mas essa foto me lembrou um pouco o MV da Luna - Free Somebody. (deve ser por isso que eu amei tanto a foto 
3 - Garfield! Só faltou a lasanha hehe
4 - Não consegui pegar todas as luzes acessas, mas gostei da foto, é uma daquelas maquinas que aparece um bichinho no buraco e você tem que martelar. Né?
5 - MIDNIGHT RUN - FURY ROAD opa, não é Mad Max aka melhor filme de 2015. 
6 - Não acompanha o mesmo background das outras fotos, mas é tão lúdico quanto <3

1 -  2 -  3 -  4 - 5
See you :)

Latest Instagrams

© Não Seja Julieta. Design by FCD.