O Lado Mais Sombrio


"Alyssa Gardner ouve os pensamentos das plantas e animais. Por enquanto ela consegue esconder as alucinações, mas já conhece o seu destino: terminará num sanatório como sua mãe. A insanidade faz parte da família desde que a sua tataravó, Alice Liddell, falava a Lewis Carroll sobre os seus estranhos sonhos, inspirando-o a escrever o clássico Alice no País das Maravilhas.
Mas talvez ela não seja louca. E talvez as histórias de Carroll não sejam tão fantasiosas quanto possam parecer. 
Para quebrar a maldição da loucura na família, Alyssa precisa entrar na toca do coelho e consertar alguns erros cometidos no País das Maravilhas, um lugar repleto de seres estranhos com intenções não reveladas. Alyssa leva consigo o seu amigo da vida real - o superprotetor Jeb -, mas, assim que a jornada começa, ela se vê dividida entre a sensatez deste e a magia perigosa e encantadora de Morfeu, o seu guia no País das Maravilhas. Ninguém é o que parece no País das Maravilhas. Nem mesmo Alyssa..."

Como grande fã de Alice no País das Maravilhas, quando ganhei de aniversário o livro O Lado Mais Sombrio, fiquei muito animada, diria até um pouco exaltada. O Lado Mais Sombrio seria uma releitura dos contos de Lewis Carroll de 1862. Na história, ao invés de encontramos nossa consagrada Alice, nos deparamos com Alyssa Victoria Gardner. De praxe, nossa heroína possui os cabelos loiros, olhos azuis e uma pitada de loucura.

Alyssa é tataraneta de Alice Liddell, possuindo o 'genes' da loucura, como ela mesma diz. Depois que Alice perturbou o País das Maravilhas com seus atrevimentos, uma maldição foi jogada em todas as mulheres descendentes de Alice. Decretando que mais cedo ou mais tarde, a loucura as alcançaria, e as deixaria exiladas no hospício para o resto de suas vidas. Depois de uma infância conturbada, por ter 'perdido' sua mãe para a maldição, Alyssa decide mergulhar no submundo e encontrar a cura que aprisionou as mulheres de sua família por anos.

Para isso, ela conta com a ajuda de Jeb e Morfeu, que para mim, e mais tarde até para a própria Alyssa, representam o lado negro e o lado bom dela, e quem ela vai escolher no final, é uma questão de perspectiva.

É realmente de se impressionar o cuidado que a Editora Novo Conceito teve com a impressão desse livro. Além da capa ter uma das artes mais bonitas que eu já vi, o livro por dentro possui ilustrações de plantas, o que deixou o lindo com um efeito antigo e submerso. Dizendo que sim, você está mergulhando nos seus mais sombrios devaneios.

O ritmo do livro deixa a desejar um pouco. O começo e o fim são ótimos, porém o meio do livro é realmente mais lento. Mas nada que não faça você querer terminar a história. :)

A autora do livro, A. G. Howard não deixa pontas no final da história, mas o curioso é que esse livro é uma trilogia. Há dois livros para serem lançados aqui no Brasil. Então eu acho que descobriremos quais outras artimanhas o País das Maravilhas nos guarda. Ansiosos?

Espero que tenham gostado! :)
Au revoir

Postar um comentário

© Não Seja Julieta. Design by Fearne.